PRAVALER: Saiba como funciona!

Se você está pensando em fazer um curso de nível superior é bom que saiba que a parte mais difícil dele é custear as mensalidades, que nem sempre cabem no seu bolso. Nos últimos anos a demanda de universitários que procuram outras formas de fazer uma graduação vem crescendo cada vez mais.

Um dos motivos para esse acontecimento é a crise econômica. Por isso muitos estudantes estão buscando alternativas aos programas do Governo, como o Fies e o Prouni, para realizar um curso de ensino superior numa instituição privada.

Uma das melhores alternativas para bancar as mensalidades de um curso de graduação é o Crédito Universitário PRAVALER, uma empresa privada que concede crédito estudantil e não necessita de aprovação de nenhum órgão educativo.

Como funciona?

O PRAVALER possui parcerias com diversas instituições de ensino em todo o Brasil e, com ele, é possível que parte do pagamento das mensalidades da universidade seja feita enquanto ainda está estudando e a outra parte somente depois de formado.

Esse crédito funciona nos mesmos moldes de um financiamento de carro ou imóvel, no entanto, possui juros bem mais baixos. Ou seja, o valor total do curso é somado e o universitário tem um prazo para pagamento desse crédito. 

Algumas instituições de ensino superior arcam integralmente com os juros do crédito PRAVALER, e o estudante não precisa pagar nenhuma taxa, e deve arcar somente com a correção da inflação. Se a instituição arcar parcialmente, a taxa de juros fica, em média, em 1,35% ao mês.

Já outras oferecem o subsídio de parte dos juros do crédito, ou seja, num curso de quatro anos, por exemplo, o universitário pode quitar o financiamento em até 10 anos. Mas também existem instituições que subsidiam os juros de forma integral.

Nesse caso, em um curso de quatro anos, o universitário pode pagar 50% do valor da mensalidade enquanto ainda está estudando e 50% somente depois de formado, com um prazo de até oito anos. Mas deve arcar com correção anual da inflação.

Como conseguir o PRAVALER?

Para garantir o crédito Universitário do PRAVALER é necessário se cadastrar no site do Programa e informar seus dados pessoais. A partir daí é feito uma avaliação. Em seguida, preencha seu nome completo e escolha a instituição de ensino que deseja o crédito e o curso.

O PRAVALER analisa todas as informações e logo após o crédito é aprovado na hora. Depois é só seguir o passo a passo do site, realizar a matrícula e apresentar os documentos. É importante ressaltar que é preciso ter um fiador apto a pagar a dívida caso o aluno não consiga. Ele deve ter renda comprovada. 

Saiba como é usado o dinheiro arrecadado com o IPVA

Em se tratando de bens móveis o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é o imposto mais importante dos brasileiros. De pagamento anual ele é de obrigação do proprietário do veículo e deve ser pago na data limite informada pelo Departamento de Trânsito (Detran). O que acontece depois com esse dinheiro você confere a seguir. 

Quem fica com o dinheiro do IPVA?

Como mineiro você já espera o IPVA 2018 MG ser enviado para a sua residência ou ficar disponível no site. O mesmo acontece para o paraibano, o paulista, o capixaba… e assim por diante. No primeiro trimestre do ano o imposto já está disponível para ser pago ou à vista ou em parcelas. 

O boleto para pagamento não permite quitação por cartão de crédito, apenas à vista. Assim o dinheiro vai diretamente para o órgão responsável pela distribuição da verba: o Detran. Mas para onde ele vai de fato?

Cada estado é o responsável pela cobrança do IPVA, ou seja: é uma renda estadual. Ele cobra por meio do Detran e Secretaria da Fazenda (Sefaz) de cada região e recebe a verba. E para onde ela vai? Para a receita estadual. 

Para que serve o dinheiro do seu IPVA?

Ao contrário do que muita gente pensa valor pago do IPVA 2018 SP ou de qualquer outro estado não conta como receita do Governo Federal. Ele fica em âmbito estadual e é usado para diversas finalidades por seu estado. 

Quando foi instaurado como obrigatório o imposto foi dividido em percentuais os quais devem ser usados para algumas finalidades. A principal e para onde vai a maior parte da verba é para gastos com o trânsito. Criação e manutenção de vias públicas são fruto de investimento com o imposto anual sobre propriedade de veículo. 

Mas sobra ainda um pouco, um percentual fixo destinado para educação e saúde. Os estados possuem como obrigação investir um percentual da verba (varia por estado) com melhoria ou criação de novas vagas na educação pública do Estado e municípios partilhando o dinheiro. Na saúde ajudam hospitais públicos, postos de saúde e pontos de atendimento descentralizados na capital e zonas urbanas ou zonas rurais. 

A arrecadação do IPVA não é tão alta como o imaginado

Pode parecer caro demais para o contribuinte mas não é uma arrecadação tão alta assim diante dos gastos de cada estado com obras públicas. Só de imaginar a quantidade de escolas e funcionários dá para ter uma ideia de quanto um estado paga para manter o sistema educacional funcionando. E o percentual do IPVA ajuda, mas não é tudo. 

A maioria dos estados brasileiros anda com o saldo vermelho. Não consegue ter dinheiro suficiente para construir novas instalações de saúde ou mesmo manter as já existentes. 

Outro ponto importante é que nem todos pagam o imposto. Muitos até encostam o carro na garagem porque não conseguem arcar com os custos e outros andam na ilegalidade fugindo da fiscalização. Então o Estado não pode contar com a verba de todos os proprietários porque há muitos não pagantes.

 

 

Quais documentos exigir ao comprar um carro usado?

Muitas pessoas pensam que comprar um carro usado é muito mais fácil do que comprar um carro novo, mas a verdade é que um processo é tão delicado e burocrático quanto o outro. Na hora de escolher seu veículo, é preciso observar não somente a conservação e o preço do mesmo, mas também outros aspectos legais. Além disso, é preciso saber quais documentos exigir durante a transação.

Toda compra demanda uma série de cuidados e com um veículo usado não seria diferente.

Para não ter problemas no futuro, a primeira coisa que você deve fazer antes de iniciar a negociação é anotar a placa do veículo e pesquisá-la no Carcheck. A ferramenta irá mostrar a você todo o histórico do veículo em questão bem como pendências financeiras e demais restrições e problemas.

Outro cuidado que você deve tomar é verificar se o número do chassi gravado no carro é o mesmo que aparece na documentação e na pesquisa do Carcheck.

Se você puder ter acesso ao número Renavam do veículo, também poderá acessar o site do Detran do estado ao qual ele pertence e verificar se há multas ou outras pendências.

Na hora de exigir os documentos do atual proprietário, é uma boa ideia pedir ajuda a um profissional a fim de verificar se todos eles são autênticos e estão dentro da lei. Se você for comprar um veículo em 2018, por exemplo, deverá exigir o Licenciamento 2018 – esse é o documento que autoriza o veículo a circular dentro da lei e deve ser renovado anualmente.

Vamos conferir, detalhadamente, quais documentos devem ser exigidos na compra de um veículo usado?

Saiba quais documentos exigir ao comprar um veículo usado

Na hora da compra, você deve solicitar ao atual proprietário:

  • CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos), popularmente conhecido como Licenciamento SP em São Paulo e assim por diante nos demais estados;
  • Comprovante de pagamento de IPVA dos últimos 3 anos;
  • Comprovante de pagamento do Seguro Obrigatório;
  • Certificado de transferência com data, totalmente preenchido e com firma reconhecida (recibo);
  • No caso de veículos importados, exija também a 4ª via de importação.

Na hora de transferir a propriedade, você deverá apresentar:

  • Comprovante de pagamento de IPVA dos últimos 3 anos;
  • Comprovante de pagamento do Seguro Obrigatório;
  • Comprovante de pagamento de multas pendentes (se houver);
  • CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos);
  • Certificado de transferência com data, totalmente preenchido e com firma reconhecida (recibo);
  • Cópia do RG e do CPF;
  • Comprovante de residência – pode ser uma conta ou um extrato bancário, por exemplo;
  • Decalque com o número de chassi do carro.

Caso o veículo seja de outra cidade ou outro estado, será necessário apresentar os seguintes documentos para transferir a propriedade:

  • Histórico ou prontuário do veículo;
  • Certidão que comprove que o veículo não possui multas em seu município de origem;
  • Certidão que comprove que o veículo não é roubado ou furtado (apenas em caso de veículos de outro estado);
  • Comprovante de pagamento de IPVA dos últimos 3 anos;
  • Comprovante de pagamento do Seguro Obrigatório;
  • CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos);
  • Certificado de transferência com data, totalmente preenchido e com firma reconhecida (recibo);
  • Decalque com o número de chassi do carro;
  • Comprovante de vistoria obrigatória realizada em qualquer posto do Detran.

Teste seu Cérebro: 5 jogos para exercitar a memória

Assim como as atividades físicas ajudam a melhorar o funcionamento do organismo, as atividades mentais podem fazer muito pelo seu cérebro. Alguns jogos servem para exercitar a memória e tornam a mente muito mais ativa em algumas situações. Melhoram até mesmo a capacidade de aprendizado. Confira!

Os benefícios dos jogos para exercitar a memória

Assim como os treinos para corrida constantes ajudam a melhorar o desempenho na atividade, jogos para memória podem fazer muito pelo seu cérebro. Ajudam a ativar zonas cerebrais não necessariamente sem uso, mas que podem ficar muito mais rápido em plena atividade. 

Nosso cérebro não é destreinado quando se trata de memória. Apenas começa a agir mais rápido quando tendemos a usar a parte da mente relativa à memorização. É como ler um mesmo texto duas vezes. Na terceira leitura ela é bem mais rápida e algumas informações não apreendidas antes entram com mais facilidade.

O jogo da memória é um dos mais indicados para quem quer treinar a capacidade de apreender conhecimento. Ele pode ajudar:

Dicas de 5 jogos para exercitar a memória 

Jogos da memória estão disponíveis em diversas plataformas para exercitar a mente gratuitamente. Tanto no celular como em sites existem boas opções para quem quer aproveitar um tempo livre e brincar à vontade. Algumas dicas são:

1 – Jogo da Memória diversas fases

Esta é uma dica de jogo para quem acaba memorizando o próprio jogo. Depois de um tempo na mesma brincadeira ela fica mais fácil. Mas se as cartas são trocadas, os símbolos modificam, a mente tende a forçar mais um pouco em busca das comparações.

Jogo gratuito disponível para Android e para download no computador clicando aqui

2 – Treinamento Cerebral

Ative zonas cerebrais costumeiramente em descanso com atividades cognitivas para adultos. Alguns jogos envolvem seguir caminhos, outros memorizar palavras e placas e ainda seguir dicas para achar o desenho correto.

Jogo disponível para download gratuito em Android, Windows Phone e IOS.


3 – Jogos de Lógica

Siga as dicas do aplicativo e encontre as respostas para diversos questionamentos em etapas como qual linha é mais lógica, qual símbolo completa corretamente a charada, qual a soma correta, dentre outras atividades simples e cada vez mais complexas quando os desafios são superados.

Jogo disponível para download gratuito em Androi e IOS. 

4 – NeuroNation Memoria Trainer

Treine a sua mente para respostas rápidas, memorização de endereços e telefones de forma simples ou busque informações antigas por caminhos mais rápidos. Jogo para todas as idades gratuito disponível no Android e IOS ou online clicando aqui

5 – Lumosity – Treinamento Cerebral

A proposta aqui é testar não apenas a capacidade de memorização como também associação de ideias, de cores e simbologia. É uma ótima dica de passa tempo para quem quer ampliar um pouco a mente enquanto está com tempo livre. 

Jogo disponível para download em plataformas Android, IOS, Windows Phone ou online clicando aqui.